Festa Junina

FESTA JUNINA

Dicas para organizar uma quadrilha e a trilha sonora para festa junina!

Dicas para você organizar a quadrilha

Forme uma fila indiana de casais, com as meninas de braços dados com os meninos.
Depois, use palavras como as abaixo para indicar os passos das crianças.

1- “Anavantur”, “Caminho da roça” ou “Caminho da festa”
Os pares seguem em fila indiana

2- “Anarriê”
Damas se separam dos cavalheiros, formando duas colunas. É importante ficar de frente para o seu par

3- “Balancê”
As crianças dançam no lugar

4- “Cavalheiros cumprimentam as damas”
Os meninos vão até as garotas, flexionam um dos joelhos e tiram o chapéu

5- “Damas cumprimentam os cavalheiros”
As meninas vão até os garotos, seguram as pontas da saia e flexionam ligeiramente as pernas

6- “Grande roda”
As crianças ficam de mãos dadas e giram em roda

7- “Damas ao centro”
As meninas saem da Grande Roda e formam outra dentro da roda dos meninos.

8- “Coroa de Rosas”
As duas rodas se misturam: os meninos (de mãos dadas) levantam os braços e passam por cima da cabeça das garotas. Depois, abaixam os braços e rodam juntos

9- “Coroa de espinhos” 
O procedimento é igual ao acima, porém são as meninas que “coroam” os garotos

10- “Grande passeio”
As crianças saem da roda e voltam para a fila indiana, de braços dados com o par

11- “Olha a chuva” 
As crianças dão meia-volta e continuam andando

12- “Já passou” 
As crianças dão meia-volta e continuam andando

13- “Olha a cobra”
As crianças dão meia-volta e continuam andando

14- “É mentira” 
As crianças dão meia-volta e continuam andando

15- “A ponte quebrou” 
As crianças dão meia-volta e continuam andando

16- “Já consertou”
As crianças dão meia-volta e continuam andando

17- “Caracol”
Os pares de mãos dadas formam uma fila única e, seguindo as ordens do puxador,
fazem curvas até formar um caracol

18- “Changê de damas” ou “Changê de Cavalheiros”
A menina ou o menino dá um passo a frente, trocando de par

19- “Olha o túnel” 
O menino fica em frente da menina, de mãos dadas e braços levantados

20- “Preparar para o grande galope” 
Um casal entra no túnel de mãos dadas. Assim que sair, deve fazer o túnel novamente.

21- “Baile geral” 
Os casais dançam

22- “Vamos nos despedir”
Os pares saem de braços dados, acenando.

Prepare a seleção musical de sua festa junina

Toda festa exige uma trilha sonora!!! E é essencial para animar a festa.
As músicas típicas das festas juninas podem ser apenas cantadas ou também dançadas.
Até hoje muitas são compostas, especialmente pelos nordestinos, e formam o repertório do forró que se transformou em baile realizado não apenas no período junino.
Vai algumas dicas para você se divertir com a turminha e cantar bastante!!
Além do som da quadrilha, aposte no forró e nos clássicos sertanejos.
Cantores como Mário Zan e Luiz Gonzaga são clássicos, mas você também pode apostar nas músicas Milionário e José Rico, Chitãozinho e Xororó, Zezé de Camargo e Luciano, etc.
O ritmo típico é o forró. Na quadrilha a música mais tocada é "Festa na Roça" de Mário Zan.

Principais Músicas Juninas

1- Pula Fogueira
2- Balãozinho
3- Cai, cai balão
4- Sonho de Papel
5- Pedro, Antônio e João
6- Isto é lá com Santo Antônio
7- Festa de São João
8- Quadrilha e quentão
9- Chegou a hora da fogueira
10- Sobe meu balão
11- Noite de junho
12- São João na roça
13- Capelinha de São João

Algumas letras de Músicas Juninas

PULA A FOGUEIRA
autor: João B. Filho

Pula a fogueira Iaiá, 
pula a fogueira Ioiô.
Cuidado para não se queimar.
Olha que a fogueira já queimou o meu amor.

Nesta noite de festança
todos caem na dança
alegrando o coração.
Foguetes, cantos e troca na cidade e na roça
em louvor a São João.

Nesta noite de folguedo
todos brincam sem medo
a soltar seu pistolão.
Morena flor do sertão, quero saber se tu és
dona do meu coração.



BALÃOZINHO 

Venha cá, meu balãozinho.
Diga aonde você vai.
Vou subindo, vou pra longe,
vou pra casa dos meus pais.

Ah, ah, ah, mas que bobagem.
Nunca vi balão ter pai.
Fique quieto neste canto, e daí você não sai.

Toda mata pega fogo.
Passarinhos vão morrer.
Se cair em nossas matas, o que pode acontecer.
Já estou arrependido.
Quanto mal faz um balão.
Ficarei bem quietinho, amarrado num cordão.

PEDRO, ANTÔNIO E JOÃO
autor: Benedito Lacerda e Oswaldo Santiago

Com a filha de João
Antônio ia se casar,
mas Pedro fugiu com a noiva
na hora de ir pro altar.

A fogueira está queimando,
o balão está subindo,
Antônio estava chorando
e Pedro estava fugindo.

E no fim dessa história,
ao apagar-se a fogueira,
João consolava Antônio,
que caiu na bebedeira.

CAPELINHA DE MELÃO
autor: João de Barros e Adalberto Ribeiro

Capelinha de melão
é de São João.
É de cravo, é de rosa, é de manjericão.

São João está dormindo,
não me ouve não.
Acordai, acordai, acordai, João.

Atirei rosas pelo caminho.
A ventania veio e levou.
Tu me fizeste com seus espinhos uma coroa de flor.

SONHO DE PAPEL
autor: Carlos Braga e Alberto Ribeiro

O balão vai subindo, vem caindoa garoa.
O céu é tão lindo e a noite é tão boa.
São João, São João!
Acende a fogueira no meu coração.

Sonho de papel a girar na escuridão
soltei em seu louvor no sonho multicor.
Oh! Meu São João.

Meu balão azul foi subindo
devagar
O vento que soprou meu sonho carregou.
Nem vai mais voltar. 


ISTO É LÁ COM SANTO ANTÔNIO
(Lamartine Babo)

Eu pedi numa oração
ao querido São João
que me desse um matrimônio.
São João disse que não,
São João disse que não,
isto é lá com Santo Antônio.

Implorei a São João
desse ao menos um cartão
que eu levasse a Santo Antônio.
São João ficou zangado.
São João só dá cartão
com direito a batizado.

São João não me atendendo
a São Pedro fui correndo.
No portão do paraíso
disse o velho num sorriso:
"Minha gente eu sou chaveiro,
nunca fui casamenteiro".

CAI, CAI, BALÃO
Cai, cai, balão.
Cai, cai, balão.
Aqui na minha mão.
Não vou lá, não vou lá,
não vou lá.
Tenho medo de apanhar.

CHEGOU A HORA DA FOGUEIRA
(Lamartine Babo)

Chegou a hora da fogueira.
É noite de São João.
O céu fica todo iluminado,
fica todo estrelado,
pintadinho de balão.
Pensando na cabocla a noite
também fica uma fogueira
dentro do meu coração.

Quando eu era pequenino,
de pé no chão,
recortava papel fino
pra fazer balão.
E o balão ia subindo
para o azul da imensidão.

Hoje em dia meu destino
não vive em paz.
O balão de papel fino
já não sobe mais.
O balão da ilusão
levou pedra e foi ao chão.